//5 tendências na indústria alimentícia para 2020

5 tendências na indústria alimentícia para 2020

O avanço tecnológico, a mudança nos hábitos de consumo das pessoas e a preocupação com o meio ambiente são algumas das principais tendências na indústria alimentícia para 2020. O setor, assim como tantos outros da economia, passa por mudanças significativas e verá um novo cenário nascer em 2020.

Claro que grandes elementos permanecerão, mas é possível que as novidades que serão inseridas no futuro próximo mudem bastante a maneira como pensamos em nossa alimentação.

Você está a parte das grandes tendências na indústria alimentícia para 2020? Se não, é hora de descobrir e entender como se adaptar para os novos tempos. Confira quais são as tendências a seguir!

1. Cozinhas compartilhadas estão entre as tendências na indústria alimentícia para 2020

O consumidor dos anos 2020 é radicalmente diferente daquele de 2000, o que dirá dos consumidores das décadas de 80, 70 ou 60. E não são só eles: as cidades e a sociedade são diferentes também.

Por isso, os restaurantes precisam se adaptar aos novos tempos. Um exemplo disso são os ramen shops, pequenas lanchonetes de balcão que servem ramen, no Japão. Tradicionalmente, são espaço bem pequenos, até para aproveitar o caríssimo aluguel em Tóquio.

No entanto, eles servem tantos clientes que precisam cozinhar em quantidades enormes. Isso, por consequência, gera um calor muito grande para o espaço, o que afasta os clientes.

A solução desses restaurantes são as cozinhas compartilhadas, espaços maiores onde todos cozinham juntos e depois levam os pratos para serem servidos aos seus clientes.

Nesses casos, as cozinhas compartilhadas são alugadas no quarteirão e oferecem serviços para todos os restaurantes locais.

No Brasil, o cenário é outro. Por aqui, apesar de ainda em pequena quantidade, as cozinhas compartilhadas são espaços disponíveis para dar conta da demanda de um “restaurante digital”.

Funciona assim: o cozinheiro abre o restaurante e entra nos aplicativos de entrega, como o Rappi, Uber Eats ou iFood. Imediatamente, ele começa a receber pedidos. Então, usa a cozinha compartilhada única e exclusivamente para atender os pedidos de delivery.

A tendência é interessante e deverá se tornar mais popular em 2020, criando uma geração de restaurantes focados apenas em delivery.

2. Pratos mais saudáveis serão exigidos pelos consumidores

O tempo em que o consumidor comia sem saber os nutrientes do seu prato ou não se importava com o que estava comendo desde que fosse uma refeição prática acabaram. Atualmente, todos os consumidores contam calorias, macronutrientes e acompanham estudos de nutrição.

Por isso, os restaurantes precisam se adaptar para pensar em pratos que se encaixem nas dietas passadas por nutricionistas e que tenham a quantidade exata de macronutrientes e calorias.

3. O menu infantil começa a ser repensado do 0

Quem nasceu entre 1981 e 1996 é, tecnicamente, um millennial, embora apenas os mais próximos do fim dessa janela se considerem como tal. No entanto, até 2026, a perspectiva é que 80% deles já sejam pais.

Por isso, os tradicionais hábitos e preocupações paternas ganharão os filhos dos millennials, o que significa que haverá uma preocupação dobrada com a alimentação dos filhos. Isso significa começar a repensar os menus infantis desde agora.

Algumas marcas já tomaram a dianteira nessa tendência trabalhando com produtos orgânicos focados especificamente nas crianças. Os restaurantes que ainda pensam em receber pessoas em seus estabelecimentos devem seguir a onda e ter uma estrutura e pratos preparados para os jovens.

4. A Agricultura regenerativa é uma das grandes tendências de 2020

O consumo excessivo da terra para plantar vem sendo estudado de perto pelos principais interessados no assunto: produtores, agricultores, governos, varejistas e cientistas. A preocupação atual não é só com o impacto que as lavouras têm no solo, mas também na saúde do planeta como todo.

Atualmente, o termo que mais ganha destaque é o de agricultura regenerativa, que consiste em práticas de plantio que visam restaurar um solo degradado, além de aumentar a captura de carbono da região e melhorar a biodiversidade da área.

A agricultura regenerativa será usada para melhor dinamizar as plantações de alimentos no Brasil, especialmente entre os pequenos agricultores, que correspondem a 70% da produção de comida no país.

5. Pratos da África Ocidental entrarão em tendência

Vira e mexe a moda muda e traz, nessa mudança, pratos de culturas diferentes. Há alguns anos, a tendência eram os pratos japoneses. Depois, foi a culinária mexicana. Em 2020, o foco ficará na comida originária da África Ocidental.

Além de ingredientes típicos da região, como moringa, tamarindo, sorgo, fonio, teff e milheto, pratos específicos como a chermoula, o arroz jollof e a injera farão sucesso entre os consumidores brasileiros.

Por isso, muitos restaurantes já estão adaptando os seus cardápios para contar com opções de pratos e ingredientes da África Ocidental e aproveitar o interesse pela região.

Essas são as principais tendências na indústria alimentícia para 2020. É bastante coisa que muda, mas são também ótimas oportunidades para os empresários e profissionais da área brilharem.

E aí, o que achou do conteúdo? Deixe um comentário com sua opinião abaixo!