//COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO DE OBRAS

COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO DE OBRAS

Estipular os valores da obra é uma das ações mais importantes do profissional à frente da construção civil. Consiste em direcionar o proprietário para os gastos necessários, e prepará-lo, é claro, para imprevistos que possam aparecer.

Diante tamanha responsabilidade, a maneira como elaborar um orçamento de obras pode definir o sucesso: da construção e do profissional. Se você mesmo, como dono do local, pretende fazer a estimativa das despesas, com nossas dicas poderá evitar prejuízos e não esquecer de nada, ok? 

Existem diversas etapas que exigem atenção para evitar erros. Eles podem custar, além de verba extra, um tempo que fuja do cronograma. Por isso, fique alerta e “mãos à obra”!

O que é um orçamento de obra?

Primeiro, vamos ao conceito para entender melhor a importância dos cálculos. Um orçamento de obra consiste em antever todas as necessidades do projeto. Isto é, prever os materiais que serão utilizados, ouvir a quantia solicitada pela mão de obra, e etc. 

Significa ter uma base de recursos, etapa a etapa, e ainda ter um “escape” para eventuais novidades. Por exemplo: pisos demandam exatidão nas contas para que o profissional efetue o trabalho dentro do prazo. Imagine a dor de cabeça de ter que comprar uma nova remessa de material porque alguém contou errado. 

Para que isso não aconteça, faça o orçamento de obras sem perder nenhuma parte do projeto de vista. É imprescindível ter um dinheiro guardado, ou comprar insumos sempre sobrando. Assim, não haverá surpresas ruins e prolongamento da obra. Elaborar um orçamento de obras é enxergar a construção de seu início até o acabamento, desenvolvendo um financiamento bem feito.

Tipos de orçamento de obra

Ter uma estimativa é chegar próximo ao valor total do investimento. Porém, assim como diferentes fases, há variados cálculos indispensáveis. 

Conheça os tipos de orçamento de obra:

1. Orçamento preliminar

O orçamento preliminar possui detalhamento com especificidades que atendem melhor do que a estimativa de custeio. Sabe por quê? O prognóstico se dá mediante a pesquisa de bons preços de mercado e mão de obra. Com levantamento da quantidade de elementos e tarefas fundamentais para a construção civil.

Partes que compõem um orçamento preliminar:

  • Especificações exatas;
  • Valores dos materiais para cada etapa;
  • Projeto Executivo;
  • Complementos;
  • Descrições de serviços específicos.

2. Estimativa de custos

A estimativa de custos pode ser lançada através de comparação com construções semelhantes já edificadas na região do empreendimento. O estudo é feito para atender ao planejamento de engenharia.

O CUB (Custo Unitário Básico de Construção), SINDUSCON, é a ferramenta mais utilizada para compreender os indicadores genéricos. Por meio dela, sabe-se o custo médio por metro quadrado das construções erguidas. Entretanto, impostos e outros números ficam de fora. Sendo assim, não há precisão para o valor total. Como o título diz, se trata apenas de uma estimativa, a qual não revela um número fechado.

Para o CUB, são considerados:

  • Número de acomodações – 2 ou 3 quartos;
  • Tipo da edificação – comercial, casa, galpão;
  • Pavimentos – quantidade: 1,4,8,12 ou 16;
  • Nível de acabamento – baixo, alto, normal.

3. Orçamento analítico

O orçamento analítico é o tipo de previsão em que consta todos os equipamentos, serviços e materiais empregados na obra. Pode ter semelhança com outro tipo de orçamento. Porém, através da CPU (Composição de Preços Unitários) há maior assertividade já que são analisados:

  • Custos unitários;
  • Insumos;
  • Quantidades;
  • Valor total;
  • Indicadores de unidade (metro quadrado, metragem, peso, e etc.).

Passo a passo para elaborar um orçamento de obras

1. Determinar as quantidades

Para iniciar um projeto de construção civil começamos por determinar o quantitativo em todos os processos. Ou melhor, listar os insumos que serão utilizados no decorrer da obra. Esta parte é responsabilidade do profissional contratado para a construção. Ele irá avaliar o que é preciso de acordo com as áreas internas e externas.

Os insumos são voltados para:

  • Alvenaria;
  • Estruturação;
  • Forros;
  • Pisos;
  • Acabamento;
  • Revestimentos;
  • Metais;
  • E etc.

Por outro lado, a mão de obra também deve entrar nesse levantamento. Conheça como a construtora ou o perito em construção civil trabalha. Insira o valor estipulado, seja por horas trabalhadas ou quantias mensais. É um dos maiores investimentos do projeto, por isso, inclua no orçamento.

2. Estabeleça as Composições de Preços Unitários

As CPU’S (Composições de Preços Unitários) integram custos específicos por unidade de cada material. O detalhamento ajuda a ordenar o orçamento de acordo com as etapas, observando o gasto com insumos e serviços.

Para chegar às CPU’s, analisamos:

Insumos

  • Mão de obra: pedreiro, construtora, pintor, marceneiro, e etc.
  • Material: pedra, cimento, tintura, pisos, etc.
  • Equipamentos: pincéis, martelos, betoneira, e etc.

Serviços

Se dispõem como os trabalhos exercidos com os equipamentos e insumos.

3. Custos Indiretos

Não menos importante, os custos indiretos são empenhados em transportes de contratados e materiais, maquinários (e seus combustíveis) usado na construção, alimentação de funcionários, entre outros. Por participar do investimento, são incluídos nessa lista. Ainda que não seja a parte mais cara do projeto, o planejamento evita surpresas com prejuízos repentinos.

4. BDI

As Bonificações e Despesas Indiretas são resultados dos lucros, porém capacitados em porcentagens. Se trata de ganhos rendidos aos funcionários executores do projeto. Ou seja, o contratado  informa o valor pela obra solicitada, esse valor se refere a gastos e lucros

Quanto será a porcentagem recebida? 20% do valor total da obra? Pense assim, como o advogado que tira sua parte da causa ganha, o profissional de construção civil também, entende? É claro: se a obra é realizada pelo proprietário do lugar, ele não recebe lucros dele mesmo. Entretanto, a satisfação está em um empreendimento bem feito e bem bonito, não é verdade?

Para qualquer tipo de edificação, não deixe de montar o orçamento de obras. Se a ideia é contratar uma empresa especializada, esteja por dentro de todas as etapas. Pergunte sobre os cálculos; esteja à par de todos os percentuais e impostos. Se informe e cuide dos seus investimentos!

Texto produzido e enviado por Total Construção