//As chaves para a segurança cibernética na indústria 4.0

As chaves para a segurança cibernética na indústria 4.0

A maioria dos setores de produção foram forçados a adotar a filosofia digital ao longo dos anos. Essa digitalização facilitou a automação de processos, possibilitou agilizar as atividades das empresas e facilitou a extração e análise de dados. No entanto, apesar de seus muitos pontos fortes, o ambiente digital tem suas próprias fraquezas. Assim, para combater isso, a cibersegurança nasceu na indústria.

A cibersegurança industrial é uma doutrina que combina os processos, tecnologias e práticas necessárias para garantir a redução de riscos no ambiente digital gerado em torno da indústria 4.0. Este conjunto de boas práticas é responsável pela proteção de dados e informações relacionadas a máquinas, equipamentos informatizados e todos aqueles processos que aproveitam os benefícios da digitalização.

Neste sentido, e pela importância que a informação ganha neste setor, estes tipos de técnicas procuram maximizar a segurança na utilização, processamento, armazenamento e transmissão de dados.

Um bom plano de segurança digital aplicado à indústria 4.0 leva em consideração os ambientes de tecnologias operacionais (TO) e a rede de tecnologia da informação (TI). Isso é notável porque a cibersegurança tenta criar uma linguagem comum para que todas as medidas sejam compatíveis nesses dois ramos da indústria, uma vez que estão intimamente ligados e interagem entre si constantemente.

Plano de cibersegurança industrial

Se queremos ter um sistema blindado contra possíveis ataques externos, de forma a ser possível navegar em segurança na internet a partir de todos os dispositivos e sistemas, é necessário seguir uma série de medidas relacionadas à segurança cibernética na indústria. Para isso, deve ser elaborado um plano de ação, que consiste em várias etapas.

  • Análise de riscos. O primeiro passo é o estudo dos potenciais riscos que podem afetar o bom funcionamento da rede informatizada da planta industrial. Para isso, é necessário monitorar o estado da empresa, suas características e quais equipamentos ela está utilizando no momento da implantação do plano de cibersegurança. Além disso, também é necessário avaliar possíveis ameaças que a empresa tenha enfrentado anteriormente.
  • Detecção de pontos fracos. Nesse ponto, a capacidade de observar e analisar a organização ganha importância. Ao longo desta segunda fase, localizam-se as fragilidades da infraestrutura informatizada da empresa, sejam elas relacionadas aos sistemas de controle e automação ou às redes de conexão e informatização.
  • Correção de malversação. Após detectar os possíveis riscos e vulnerabilidades dos sistemas industriais, é hora de fazer as alterações pertinentes para garantir a segurança cibernética industrial. Neste momento é necessário contar com uma equipe de especialistas na área para atuar nesse sentido.
  • Criação de procedimentos e normas. Depois de lidar com os pontos fracos na infraestrutura de comunicação da planta, é fundamental elaborar uma série de regras e protocolos que toda a equipe deve seguir rigorosamente. Nesse sentido, é importante garantir que todos os membros da empresa sejam informados sobre isso, para que antigas brechas de segurança não sejam reabertas.

O plano de cibersegurança na indústria deve ser facilmente replicável, pois é vital garantir sua continuidade. Caso contrário, a planta não estará realmente protegida contra intrusos indesejados, mesmo que o processo tenha sido ótimo.


Veja também:


Áreas de atuação de cibersegurança na indústria 4.0

Os campos de atuação da cibersegurança industrial são muito variados, pois pode ser aplicada em diferentes contextos:

Redes, comunicações e dados. O primeiro elemento afetado pela cibersegurança na indústria 4.0 é a rede informática. Esse ambiente é o responsável por controlar muitos dos processos automatizados e, além disso, gerencia o envio das informações.

Portanto, não é de surpreender que exija uma série de medidas de proteção para que nenhum intruso possa acessar o controle do maquinário, os dados confidenciais da organização e todo o feedback dos processos da indústria. É nesta seção do sistema informatizado que deve ser instalado um shield para prevenir malware com a intenção de infectá-lo.

Programas. O software é um dos pilares da indústria 4.0, e obviamente está totalmente ligado ao mundo digital. Todos os sistemas industriais inteligentes dependem de um programa específico para garantir o bom funcionamento dos ativos, por isso é importante integrar os sistemas de segurança antes e durante a implementação do programa.

Tecnologias operacionais. As tecnologias de operação são aquelas que gerenciam as permissões e acessos de usuários à rede de controle dos ativos da planta industrial, entre muitas outras coisas. Eles também dominam o acesso e gerenciamento de dados relacionados ao desempenho do maquinário. Por ser um dos aspectos mais importantes da empresa, o plano de cibersegurança deve ter um grande impacto aqui.

Dispositivos IIoT. A Internet das Coisas aplicada à indústria é uma tendência crescente, e essa tecnologia permite que o maquinário e o ambiente de produção sejam sensorizados para obter dados de vital importância.

Alguns desses dispositivos têm laços estreitos com máquinas pesadas de fábrica, podendo existir uma brecha na segurança ideal para intrusos. Para evitar que parem de funcionar, bloqueiem ou interrompam o fluxo de informações, é necessário protegê-los por meio de boas práticas associadas à cibersegurança.

Envolvente cloud, mobile e sem fio. Hoje, grande parte dos dados da empresa estão hospedados na nuvem, incluindo infraestruturas digitais, aplicativos e informações importantes. Todos esses elementos estão na rede, portanto, neste momento, a segurança cibernética na indústria é simplesmente um elemento obrigatório.

Da mesma forma, todos os dispositivos sem fio, como telefones celulares ou tablets, apresentam um grande desafio para a segurança cibernética em si, ao conseguir acessar a rede da organização, principalmente se os funcionários não tiverem treinamento adequado em segurança cibernética industrial.

Erros humanos. O elo mais vulnerável em sistemas digitalizados da indústria é a mão humana. Sem dúvida, é também o bem mais valioso, a principal razão para que tudo funcione corretamente. No entanto, todos cometemos erros, enquanto as máquinas geralmente não incorrem em incidentes se forem preparadas corretamente.

Portanto, como é necessária a atuação de especialistas em muitos dos processos, é preciso criar um protocolo de cibersegurança industrial. Dessa forma, se as instruções previamente estabelecidas forem seguidas, é muito improvável que um dos profissionais possa gerar vulnerabilidades na segurança do ambiente informatizado da organização.

É natural se preocupar com a integridade dos dados da sua empresa. Também sabemos que você não quer que ninguém fora da fábrica acesse sistemas de controle ou outras áreas vitais da organização. Portanto, se você está pensando em como pode fechar as portas para qualquer invasor, precisa de um plano de segurança cibernética industrial.

Whatsapp Marketing para o Empreendedor Vendas no Instagram Vendas industriais e internet Vantagem Competitiva Tudo sobre aplicação de manta asfáltica