//Entendendo a comunicação na era digital

Entendendo a comunicação na era digital

A comunicação social na era digital, período que vivemos atualmente, tem entre suas maiores características o fato do público produzir seu próprio conteúdo. 

A internet (com as redes sociais) democratizou o acesso à informação e abriu espaço para a divulgação das mais distintas opiniões. 

Agora, não é exclusividade dos veículos de comunicação transmitir notícias, ideias, propagandas e uma diversidade de materiais. 

Dependendo do ponto de vista, pode ser uma situação boa ou ruim, afinal, essa popularização é bem-vinda, porém abre margem para problemas – baixa qualidade da informação, viralização de conteúdos ruins, discursos infundados, etc.

Na ótica dos “velhos” canais da mídia, todas suas ações devem considerar as tendências da rede, sempre com um estudo prévio e o pensamento estratégico. 

O público responde muito rápido a qualquer nova informação que recebe, seja de modo positivo ou negativo. 

Se antes era mais custoso saber o que as pessoas estavam comentando sobre um programa de TV ou rádio, hoje em dia já sabemos quais as impressões do público sobre qualquer produto em tempo real.

Segundo o sociólogo Manuel Castells, “a internet é – e será ainda mais – o meio de comunicação e de relação essencial sobre o qual se baseia uma nova forma de sociedade que nós já vivemos”. 

Cibercultura

É impossível não citar a cibercultura quando falamos de comunicação na era digital. 

Esse termo é bem antigo e tem tanto Castells – já citado – quanto Pierre Levy como um dos principais estudiosos. 

Tal termo refere-se à sociedade de rede e a realidade virtual que tomou conta de todas as culturas e mudou diversos hábitos humanos.

A dependência da internet e de todos os seus recursos causou impactos além do campo político e econômico. 

Para os pensadores, linguagens, trocas simbólicas e percepções também foram afetadas, bem como a possibilidade de formar novas identidades. Com a tecnologia, não é mais necessário estar perto para interagir, as pessoas podem ser “o que quiserem” e montar perfis diversos – mesmo que artificiais.

Por outro lado, a presença da cibercultura e desses padrões tecnológicos em vários setores não deve ser integralmente criticada. 

É crucial reconhecer seus ganhos quando pensamos em campos como a educação e até a própria comunicação social em si. 

Essas redes acabaram com a polarização que era tão criticada no surgimento dos primeiros meios de comunicação de massa e deram voz a muitas minorias, garantindo muitas transformações sociais positivas. 

O fato é que temas como cibercultura e globalização sempre serão discutidos com uma série de argumentos pró e contra.

Especialistas como Castells ponderam que o sistema capitalista e o cenário mercadológico se aproveitam ainda mais da cibercultura para imposição de suas ideias e “robotizam” as pessoas. 

Todavia, nunca se viu um meio tão democrático quanto a internet, em que é possível juntar indivíduos para muitas causas assertivas, mostrando que a sociedade de massa ainda é responsável por promover as mudanças mais significativas.

Compreender tudo sobre comunicação social no contexto moderno e na ligação com aspectos como a cibercultura é fundamental para um bom profissional e estudante. 

Graduandos nos diversos ramos dessa área precisam ter em mente que essa é uma pauta frequente em muitas aulas, além de aparecer também no cotidiano do mercado de trabalho.

Novas tecnologias de comunicação

A convergência de dados, imagens e de todos os meios midiáticos é a principal tendência referente às novas tecnologias de comunicação. 

Não existe mais exclusividade, a internet abraçou todos os canais e se tornou hipermídia, lançando uma série de aplicações que são renovadas e atualizadas constantemente. Para se ter noção desse cenário, vale algumas comparações:

  • A TV se tornou digital, ganhou conectividade e tem uma programação com centenas de opções que fica à disposição do usuário;
  • As funções do telefone se sustentam em uma diversidade de plataformas que permitem o envio de voz, conversas em tempo real – com envio e recebimento de mensagens em tempo recorde – e até interação via vídeo de qualquer lugar do mundo.
  • A internet também evoluiu e está bem diferente do que era há 10 anos. Está presente em dispositivos além do computador (que dá para acessar remotamente) e abraça uma variedade de aplicações que facilitam a vida dos usuários.

Também temos um mercado digital em que é possível buscar dicas sobre produtos e serviços antes mesmo de realizar uma compra. Se você vai comprar uma ferramenta elétrica, por exemplo, pode procurar sobre como escolher uma parafusadeira e ter dicas sobre qual a melhor ferramenta para as suas necessidades.

Esses são apenas alguns exemplos gerais da influência da tecnologia na comunicação social e que são perceptíveis em qualquer local que frequentamos. 

Para ler este artigo, você está usando o computador ou o smartphone. Ao mesmo tempo, pode conversar com seus amigos, se atualizar sobre as notícias do momento, tirar uma foto e enviar para quem quiser… são métodos de comunicação na era digital que fazem cada vez mais parte de nossa rotina.

É interessante fazer essas análises e perceber o quanto a comunicação social evoluiu e como pode atingir novos patamares. Por ser uma área em construção, abre margem para muitas teses. Se você se interessa por esse campo, saiba que o domínio dos aspectos teóricos é primordial e ajudam na sua formação pessoal e profissional.

Semiótica e Psicologia da Comunicação

Bom, semiótica corresponde à compreensão da linguagem de signos e como o público interage com os objetos e figuras que são dispostos de vários modos em inúmeros canais. 

Trata-se de uma ciência criada por Charles Sanders Pierce que, segundo a especialista Lucia Santaella, “revolucionou os meios de comunicação e se apresenta atualmente em muitas áreas”.

Para Pierce, a semiótica segue três dimensões de estudo: o processo de representação dos signos, a natureza da cultura, seu conceito ou ideia. 

Aplicado à comunicação, o estudo da semiótica pode seguir inúmeras linhas, da profusão de informações na internet até as estratégias que a publicidade encontra para atingir o público por meio dos mais infinitos símbolos.

Atrelada à psicologia, é capaz de coligar-se a fatores que têm como objetivo a persuasão e ações ligadas diretamente ao comportamento de um indivíduo ou de toda a sociedade. 

Citamos a publicidade porque é um dos principais focos de estudo dessas áreas, mas há que se concordar que todos os parâmetros da comunicação social moderna se valem dessas abordagens para variados objetivos.

Compreendido todos os termos? Agora é a sua vez. Compartilhe conhecimento e deixe na caixa de comentários abaixo a sua opinião sobre o assunto.

Até a próxima.

Este conteúdo foi escrito pela redação do Educamundo, o seu site de cursos online.