//Qual o papel do RH na gestão de crise

Qual o papel do RH na gestão de crise

O ambiente empresarial é volátil. Logo, toda empresa está suscetível a enfrentar diferentes tipos de crise ao longo da sua trajetória. 

Diante do momento de instabilidade econômica que estamos vivendo, ocasionada pela pandemia do novo coronavírus, as empresas estão fazendo o possível para se adaptarem a esse cenário de adversidades, buscando alternativas para se manterem no mercado. 

E nesse momento, o RH assume um papel de protagonismo na gestão de crise. 

Isso porque, atualmente, o RH conta com ferramentas tecnológicas, que permitem a análise de dados forma estratégica, possibilitando a geração de insumos e insights para resoluções criativas e efetivas, independente da realidade que a empresa enfrenta. 

A intenção é de que toda essa tecnologia trabalhe em prol dos colaboradores, sobrando mais tempo para que o RH foque na gestão de pessoas. Assim, a empresa estará preparada para enfrentar a crise antes mesmo dela acontecer. 

Então, se você ficou interessado em entender melhor como um RH estratégico pode ser uma peça-chave na gestão de crise, continue a leitura e descubra!

O que é a gestão de crise?

Resumidamente, gestão de crise é um planejamento que visa prevenir ou amenizar o acontecimento de um problema perigoso, preparando a empresa para lidar com a situação. O objetivo é reduzir os prejuízos financeiros e os danos causados à imagem da marca no mercado.

As crises nas organizações podem ser causadas por questões internas — seja por problemas de relacionamento entre gestores, líderes e liderados ou por questões financeiras ou legais, por exemplo. 

Além disso, situações como essas também podem acontecer devido a fatores externos e inesperados, como a instabilidade do mercado causada pela Covid-19.

Qual o papel do RH em tempos de crise?

Toda crise tem início, meio e fim. E é nessa hora que o profissional de RH deve assumir seu papel na gestão de pessoas. Assim, diante de um momento de instabilidade na empresa, é papel do RH recordar pontos importantes, como: 

  • são os colaboradores que farão com que a empresa supere os desafios e volte a se estabelecer no mercado;
  • é necessário tranquilizar as pessoas, dando a certeza de que esse cenário não durará para sempre. 

Em um momento de crise nos negócios, é comum que os colaboradores se sintam desmotivados e preocupados com a situação que a organização enfrenta. Logo, cabe ao RH elaborar ações e estratégias que proporcionem uma melhor experiência do profissional.

Além disso, sabendo que as pessoas são diferentes e se comportam de maneiras distintas diante de uma mesma situação, é preciso que o RH elabore estratégias e ações de acordo com as forças e fraquezas de cada colaborador, evitando que a empresa cometa os erros mais comuns na gestão de crise

Como o RH deve atuar?

Agora, abordaremos de forma mais específica algumas estratégias e ações que podem ser adotadas pelo RH nos momentos de crise. Acompanhe

Garantir segurança

Ter uma boa comunicação interna é fundamental para garantir a segurança dos colaboradores em momentos de crise na empresa. 

Para tanto, os gestores devem sempre se posicionar e deixar os profissionais a par da situação atual, além de manter um diálogo transparente e coerente, evitando conversas paralelas e assegurando que o melhor está sendo feito para superar a crise. 

Fazer análise demissional

Infelizmente, durante uma crise empresarial, é normal que demissões aconteçam. Para que esse processo seja feito da forma mais humanizada possível, a análise demissional pode ser uma aliada do RH. 

Por meio dessa pesquisa aplicada, é possível que o Recursos Humanos tenham uma visão mais estratégica sobre quais são os fatores que causam evasão na empresa. 

Dessa forma, ao entender e fazer a leitura correta dessas informações, é possível decidir, de forma fundamentada, quem são os profissionais que podem ser demitidos sem causar tantos impactos negativos para o negócio — e quais deles são indispensáveis para a empresa e para os seus consumidores durante a crise.

Passar o recrutamento e seleção para o modo remoto

Para automatizar o processo de recrutamento e seleção, o RH conta com várias plataformas de gestão, que possibilitam recrutar e admitir um talento que tem o perfil ideal para a vaga, avaliando tanto suas competências técnicas quanto comportamentais, de forma rápida e totalmente online. 

Outra vantagem sobre recrutamento e seleção remoto é que ele também faz com que a empresa economize gastos com reserva de espaço físico para a realização do processo seletivo e utilização de materiais de escritório. 

Além disso, o processo online otimiza a aplicação e correção de testes presenciais — fazendo sobrar mais tempo para que o RH foque no que realmente importa: o capital humano.

Fortalecer a cultura organizacional

Olhar para a cultura organizacional quando tudo vai bem é importante, mas estar ainda mais atenta a ela em momentos de crise é imprescindível.

Na instabilidade, onde cortes geralmente precisam ser feitos, uma boa comunicação interna ajuda a melhorar o clima da empresa e pode unir ainda mais os colaboradores que continuam na equipe. 

No caso da crise ocasionada pelo coronavírus, na qual muitas empresas estão funcionando no regime de home office, essa comunicação pode ser um desafio por conta da distância física.

Logo, é papel do RH investir em estratégias e ações remotas para que a cultura se fortaleça nesse momento. 

Ainda, é importante que o RH alinhe com gestores e líderes para que eles não deixem de fornecer feedbacks constantes e elogios, reconhecendo o esforço do time em se manter engajado em seus projetos mesmo fora do ambiente empresarial. 

Além disso, é necessário manter alguns processos, mesmo que de forma virtual, como felicitações aos aniversariantes, happy hours por videoconferência, além de outras estratégias para fortalecer a cultura. 

Planejar ações de contenção

Juntamente com líderes e gestores, o RH deve formar um comitê de crise, envolvendo colaboradores de todos os setores da empresa. 

O intuito dessa equipe é trabalhar na elaboração de um documento para que todos tenham acesso às estratégias e ações que devem ser tomadas diante das mais variadas situações de instabilidade. 

Assim, quando uma crise ocorre, o principal foco dessas ações é fazer com que a empresa continue suas atividades com o mínimo impacto possível.

Como a gestão comportamental pode ajudar?

Manter uma gestão com base em comportamentos é uma estratégia fundamental para o sucesso da empresa, especialmente em momentos de crise. Isso porque, na instabilidade, a tomada de decisão torna-se muito mais impactante, por isso, o RH precisa ser estratégico. 

Logo, contar com ferramentas e softwares que auxiliem nessa gestão de crise e na compreensão sobre o comportamento de cada um dos colaboradores, por exemplo, por meio do mapeamento do perfil comportamental, passa a ser de grande importância.

Ainda, ao entender e fazer a leitura dos perfis comportamentais dos colaboradores, fica mais fácil criar recursos para motivar e engajar os profissionais, independente da situação vivida pela empresa. 

Assim, por meio da gestão comportamental é possível transformar a conduta dos colaboradores em algo mais alinhado com os objetivos da organização e que possa ser mensurável em resultados — tanto para o negócio quanto para os próprios colaboradores. 

Mesmo não existindo manual de instruções para o momento de instabilidade que as empresas estão vivendo, podemos afirmar que, um profissional de RH que se encontra munido de ferramentas de análise de dados preditivos e um pensamento estratégico exerce um papel fundamental em meio à gestão de crise.

Este artigo Profiler da Sólides é uma ferramenta que pode ajudar o RH na obtenção de vários dados relevantes, que auxiliarão a empresa no momento de crise com estratégias que a deixarão ainda mais forte e preparada para o mercado quando a turbulência passar!