//Saiba as 4 principais causas para o risco financeiro da sua empresa

Saiba as 4 principais causas para o risco financeiro da sua empresa

Falar em riscos financeiros assusta, não é? Principalmente sabendo que é um assunto não muito claro para todos e, em tempos de crise, fica ainda mais complicado.

Por isso, vamos esclarecer um pouco sobre o que é o risco financeiro e quais são as 4 principais causas que podem agravar este cenário na sua empresa.

Os riscos financeiros se relacionam com as operações financeiras de uma empresa.

São incluídos os riscos provocados por uma má gestão do fluxo de caixa e os riscos ligados a retornos abaixo do esperado nas transações financeiras e nos investimentos.

Dificuldades na análise dos riscos financeiros

Veja os dados apresentados no estudo Os Cinco Pilares dos Riscos Empresariais, da Deloitte, para entender melhor sobre este tema.

Segundo o levantamento as principais preocupações das empresas são referentes a riscos financeiros nesta ordem: fluxo de caixa (1º lugar) e contabilidade (ou resultados financeiros, que está em 2º).

Além disso, das 11 primeiras posições, cinco delas são referentes às finanças. Veja o percentual de gerenciamento de cada um deles:

  • Fluxo de caixa: 92%;
  • Contábil: 91%;
  • Tributário e fiscal: 91%;
  • Crédito: 87%;
  • Taxas de juros nacionais: 83%.

Probabilidade do risco

A sua equipe deve avaliar a chance de algo inesperado negativamente acontecer. Existem alguns critérios para a categorização, veja abaixo:

  • Extremamente remoto: é uma possibilidade difícil, remota de acontecer. Pode ser muito inesperada, mas continua sendo possível;
  • Improvável: mesmo com baixa probabilidade de ocorrência, estes eventos devem ser incluídos nos riscos;
  • Provável: pode acontecer, com probabilidade de uma vez ao longo da operação;
  • Frequente: este exige mais atenção por ter a chance de acontecer diversas vezes durante o processo.

Gravidade do risco

É importante também medir o impacto, as consequências que os riscos financeiros causarão.

 

Para isso, seus colaboradores devem levar em conta a severidade do ocorrido. Veja os índices abaixo, eles podem te ajudar:

  • Catastrófica (prioridade alta): são riscos financeiros elevados com altos prejuízos e potencial de falência do negócio;
  • Crítica (prioridade média): incluem danos sérios ao capital, mas com possibilidades de serem revertidos;
  • Desprezível (prioridade baixa): são prejuízos pequenos com facilidade para serem reversíveis.

As causas

Entre as possíveis causas podemos citar: administração financeira inadequada, endividamento elevado, exposição a variações de câmbio ou de taxas de juros, operações de mercado ou investimentos com alto grau de incerteza e baixa qualidade das informações para a tomada de decisões.

Agora que já ficou mais claro o que são os riscos financeiros, podemos falar sobre as 4 principais causas.

Reduza riscos financeiros na sua empresa: 4 principais causas

#Causa 1 – Riscos operacionais

Correspondem a perdas geradas por funcionários, processos, sistemas e eventos externos que possam afetar o funcionamento da sua empresa.

É o caso dos defeitos em equipamentos, do uso de sistemas de informática obsoletos e da baixa qualificação de funcionários.

Esse é um dos riscos mais difíceis de medir de forma objetiva. Conseguir calculá-lo a ponto de se prevenir, depende da empresa ter criado ou não, um bom banco de dados com o registro das possíveis falhas e pré requisitos para o pleno funcionamento das atividades dessa natureza.

Uma pesquisa da Gartner, realizada no ano passado, em 2018, mostrou que 46% dos CIOs brasileiros já passaram ou estão passando por mudanças nos modelos de negócios, adequando-se à Era Digital ou terceira Era de TI.

Este já um exemplo para ficar atento aos riscos operacionais que o uso das novas tecnologias podem causar.

Para ilustrar melhor, veja abaixo outros exemplos:

  • Fraudes internas
  • Fraudes externas
  • Demandas trabalhistas e segurança deficiente do local de trabalho
  • Práticas inadequadas relativas a clientes, produtos e serviços
  • Fatores que acarretem a interrupção das atividades da instituição
  • Falhas em sistemas de tecnologia da informação
  • Falhas na execução, cumprimento de prazos e gestão das atividades

Com uma boa reavaliação do seu negócio, é possível identificar e trabalhar para reduzir estes riscos.

#Causa 2 – Risco de crédito

São os riscos que indicam o nível de confiabilidade financeira que uma empresa oferece a um credor. Um exemplo comum são os bancos, que fazem toda essa análise antes de emprestar o valor solicitado.

Empresas que são consideradas de maior risco, os juros aplicados para financiamentos geralmente são mais altos. Outro exemplo do risco de crédito, são empresas que vendem faturando por boleto, e acabam ficando expostas ao risco de entregar a mercadoria ou serviço e não receber posteriormente o pagamento devidamente.

Neste caso, é muito importante fazer o planejamento financeiro para manter todas as contas em dia com os fornecedores e ter uma “boa reputação”. Já em relação aos seus clientes, faça sempre a análise de crédito antes da venda, buscando se resguardar ao máximo em casos de inadimplência ou atrasos.

#Causa 3 – Risco de mercado

Este risco está relacionado às variações nos preços, nos juros e taxas em geral do mercado financeiro. Todos esses fatores podem incidir no lucro e no desempenho financeiro da sua empresa.

Tal como no risco de crédito que falamos acima, um bom planejamento financeiro pode te ajudar muito a evitar dores de cabeça por essas variações no mercado financeiro. E para isso funcionar melhor, acompanhe de perto o que acontece no mercado financeiro.

#Causa 4 – Risco de liquidez

Corresponde à possibilidade da empresa não honrar devidamente seus compromissos, seja com fornecedores ou até mesmo com os funcionários. Uma das principais causas neste caso, é uma má gestão do fluxo de caixa.

Visto as 4 principais causas que falamos nos itens acima, fica claro que o planejamento financeiro o mais detalhado possível, é fundamental para reduzir todos esses riscos em conjunto com uma boa gestão financeira.

Hoje em dia, com sistemas como a Conciliadora, que fazem a conciliação automatizada do fluxo de vendas com cartão, é possível economizar muito tempo e dinheiro nas empresas e os resultados refletem diretamente no fluxo de caixa. Por isso, é uma ferramenta que vai contribuir muito para a redução dos riscos e trazer mais tranquilidade em relação a saúde financeira do seu negócio.Gostou? Estas e outras dicas você encontra em nossas redes sociais (@Conciliadora).

By |2020-03-17T11:03:03-03:0027 de setembro de 2019 |Convidados|

2 Comments

  1. Caixa de papelão 19 de abril de 2020 at 22:00 - Reply

    Achamos muito interessante este post.

    • Solucoes Industriais 22 de abril de 2020 at 10:16 - Reply

      Olá!
      Ficamos felizes por gostar do nosso post, não deixe de conferir os outros.

Leave A Comment