//Marketing Industrial: 8 estratégias de sucesso que geram lucro

Marketing Industrial: 8 estratégias de sucesso que geram lucro

Como consumidores somos diariamente bombardeados com propagandas e conteúdos nas mídias online.

Com isso, as indústrias, devido a realidade de vender para outras pessoas jurídicas, podem se equivocar e acreditar que o espaço online não deve ser ocupado por elas.

Ao contrário disso, os processos de marketing digital são estratégicos para todas as realidades de negócios, variando a abordagem a ser adotada.

Isso porque, no fim, ainda que em ambiente de trabalho, por trás das telas há pessoas e é nelas que o marketing quer chegar, observando o apelo e o aprofundamento necessários a cada cenário.

Neste post você entende como e porque os negócios podem ser beneficiados pelo marketing industrial a partir de presença digital estratégica e bem executada!

Ponto-Chave do Marketing Industrial

Movido pelas necessidades racionais de outros negócios, o setor tem seu principal argumento de vendas na expertise que possui sobre o que faz.

Essa racionalidade se traduz em profundidade no marketing industrial.

A partir dos diferentes canais e formatos, as informações técnicas são trabalhadas de maneira a demonstrar o domínio sobre a tecnologia ou produto.

Com isso se pretende aumentar o conhecimento sobre a empresa, utilizando técnicas que, por meio da internet, facilitam a propagação das informações e façam os potenciais clientes chegarem até ela.

Como consequência, haverá mais procura, solicitações de orçamentos, reuniões, novos clientes e aumento de faturamento!

Confira abaixo oito dicas para entender como esse processo é possível.

1. Inbound Marketing

O inbound marketing usa a atração para ter a atenção das pessoas ao invés da interrupção, como os comerciais dos canais de televisão aberta, panfletos e outdoors, por exemplo.

A ideia é utilizar diversos recursos (metodologia, técnicas, conteúdos, tecnologia) para chegar até as pessoas no momento certo e com a mensagem certa.

Com isso se busca maior efetividade nas ações, o que é refletido em mais conversões.

Pense da seguinte maneira: há muitas empresas com as quais a sua solução pode contribuir. No entanto, os profissionais responsáveis em contratá-la têm diversas tarefas a realizar, prazos e orçamento específicos para cumprir.

As chances de se conseguir este perfil de cliente seria mais provável ao enviar constantemente mensagens (que, muito provavelmente, ele passará a ignorar) ou apresentar opções no momento em que ele está propício a fechar a parceria?

Comece a entender como essa abordagem certeira acontece!

topo-funil-de-vendas

2. SEO (Search Engine Optimization)

O SEO é a escolha de palavras associadas à sua indústria, utilizadas sistemática e estrategicamente nas diversas ações de marketing digital, facilitando o encontro entre a empresa e os clientes.

Ao precisarem de algo ou terem alguma dúvida, as pessoas costumam pesquisar antes.

  • De forma básica, quais as perguntas que seus potenciais clientes fazem?
  • Quais as dificuldades que eles têm que a sua solução resolve?
  • Quais os primeiros sinais a identificar para cogitar que ele realmente precisa de você?

Das alternativas que passaram pela sua cabeça, muitas delas podem ser utilizadas como keyword, ainda que não seja um único termo, mas a junção de três ou mais, formando uma frase.

Ao utilizar tais palavras de forma estratégica dentro do site, hashtags, conteúdos, Google Adwords e outros pormenores do inbound marketing, os sites de busca apresentarão a empresa no momento certo, ou seja, quando os prospects estiverem pesquisando a respeito!

3. Marketing de conteúdo

Ainda que tenha identificado as palavras mais interessantes para serem usadas na sua estratégia digital, se elas não forem bem trabalhadas, a empresa não consegue reter a atenção das pessoas.

O marketing de conteúdo visa resolver as dúvidas dos clientes, ao invés de focar no quão boa é a empresa ou a solução. Isto será a conclusão da própria pessoa, no caso de realmente os conteúdos conseguirem resolver as dificuldades delas.

Para tanto, é preciso considerar as diferentes motivações que fazem o cliente precisar da solução, as dificuldades de entendimento que tem e, principalmente, o momento em que se encontra.

Muitos potenciais clientes precisam do seu produto mas não sabem, ou seja, sentem alguma dificuldade característica, ainda que não entendam o que é.

Outros já identificaram o problema, mas não conhecem alternativas que o resolvam.

Por fim, alguns apenas não te conhecem!

A forma de abordar cada uma dessas pessoas é completamente diferente.

Uma mesma dúvida pode ser abordada de três maneiras distintas, visando cada um dos momentos.

E, ainda que os post blogs e vídeos sejam os mais comuns, há outros formatos como infográficos, ebooks, webinars para serem explorados.

4. Redes Sociais

Espaço para diálogos, o marketing industrial encontra no Linkedin a sua principal plataforma de interação direta com os clientes, ainda que possa se valer de outras como o Facebook, que contém a maior concentração de pessoas.

No entanto, como o ambiente industrial exige maior formalidade, a rede focada em relacionamentos profissionais é a melhor alternativa e conta com muitas ferramentas internas para facilitar o contato e propagar os conteúdos.

5. Gestão de mídia paga

Não é porque este conteúdo maravilhoso é gratuito que conquistar sua audiência será! É preciso investimento.

Impulsionar posts, fazer campanhas nas redes sociais, comprar palavras-chaves pelo Google Adwords, inserir banners faz parte da rotina estratégia digital, a fim de atingir os objetivos e conquistar o espaço desejado.

No entanto, é preciso fazer de maneira coerente, ou seja, com orçamento a longo prazo e monitoramento de indicadores críticos, para identificar acertos e erros, provocando ajustes constantes que melhorem cada vez mais os resultados.

Até porque o que está dando certo hoje pode não ter o mesmo desempenho amanhã e é preciso buscar diariamente alternativas.

6. Automação

Sistemas de automação de marketing agilizam o processo de postagem de conteúdos em diversos canais e auxiliam a conversão durante a jornada do consumidor.

A ideia é fazer com que as partes operacionais repetitivas de publicação e envio de mensagens e conteúdos em data e horário desejados seja feito pelo software, que também fornece dados e estatísticas sobre o desempenho do que tem sido realizado.

Assim, os profissionais podem concentrar seus esforços e tempo na interpretação dos dados, na melhora da estratégia e no desenvolvimento de conteúdos ricos, caracterizando o marketing de performance.

7. E-mail marketing

Consequência da automação, o e-mail marketing visa alguma ação do potencial cliente.

Por exemplo, alguém navegou pelos canais da empresa e forneceu os dados para baixar um conteúdo avançado.

Por que não enviar um e-mail que incentive o contato com o setor de atendimento e vendas?

Ao programar diversos gatilhos no sistema de automação, o e-mail marketing é o responsável em nutrir os leads, fazendo com que seja a ponte que os faça voltar, manter contato e lembrar da marca, mesmo depois de ter saído do site ou outros canais.

8. Growth marketing

Ao ter chegado até aqui deu para perceber que marketing industrial é um ótimo caminho, mas não é moleza, não!

Tem muito trabalho envolvido!

funil-de-vendas

Neste contexto, o growth marketing vem como o sangue nos olhos!

Focado em resultados e crescimento rápido, o growth marketing é, acima de tudo, um mindset que busca os melhores índices de conversão de forma contínua e rápida no marketing digital.

Fazer acontecer, mostrar que deu e dá certo.

Análise de dados, automação e criatividade são os principais recursos para colocar a empresa dentro desse foguete. Pronto para embarcar?

funil-de-vendas