//Como funciona uma plataforma de telemedicina?

Como funciona uma plataforma de telemedicina?

Antes de mais nada, a telemedicina já era um recurso amplamente cobiçado pelos profissionais da saúde. Muitos a viam como avanço revolucionário dentro do segmento médico, mas ninguém esperava que este avanço chegaria tão rápido ainda mais dentro de um cenário atípico.

 

Em março de 2020, devido ao rápido avanço do novo coronavírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou o estágio dessa contaminação a nível de pandemia. Logo em seguida, como todos deveriam manter o isolamento e distanciamento social como medida de restrição para evitar o contágio, o Ministério da Saúde autorizou a prática de telemedicina em caráter emergencial enquanto durar a pandemia.

 

Diante desse quadro, muitos softwares médicos se prontificaram em ajudar os profissionais da saúde ao proporcionar uma plataforma de telemedicina integrada ao prontuário. Com foco em ajudar na batalha de linha de frente contra o avanço do vírus e ao mesmo tempo resguardar a saúde dos médicos e pacientes com o atendimento feito à distância.

 

Mas afinal de contas, o que é a telemedicina e como ela funciona? Isso vai ser melhor esclarecido ao longo deste artigo. Acompanhe.

 

Afinal, o que é telemedicina e como funciona?

 

Telemedicina é uma área dentro do segmento da saúde que visa prestar atendimento remoto. Este atendimento pode ser do tipo pré-clínico, de consulta, assistencial ou de monitoramento e é realizado através de videochamadas com os pacientes. Mas a tecnologia que envolve estas videochamadas deve ser altamente segura para dados sensíveis dos pacientes não correrem risco de serem acessados por terceiros.

 

A telemedicina é executada por meio da internet. A assistência dada ao paciente à distância pode ser feita por computador, tablet ou celular, desde que ela esteja integrada a um software médico que proporcione o atendimento por vídeo.

 

A telemedicina consegue trazer benefícios tanto para os pacientes, pois eles conseguem ter acesso a assistência do médico sem precisar estar sujeitos às fake news quanto para os profissionais da saúde que alcançam mais pacientes, além dos locais que costumam atender, e também se conectam com outros colegas da saúde para trocar diálogos sobre diagnóstico e entre outros assuntos importantes. 

 

A telemedicina ao redor do mundo

 

Apesar da telemedicina ser recente no Brasil, já é uma prática comum em outros países pelo mundo. Justamente por trazer uma economia de tempo para todos, pois ela elimina barreiras geográficas e fazer com que médicos e pacientes construam um vínculo mesmo que de forma virtual.

 

No Brasil ainda há uma certa resistência dos profissionais da saúde em se familiarizar com a tecnologia e enxergar como ela pode trazer benefícios para interpretação de diagnósticos, melhorias nos resultados e etc. Se ficar a comparação a nível Global percebe que os pioneiros em usar a telemedicina como mais um canal de assistência médica são as nações que estão no topo de conhecimento tecnológico que são Israel, Estados Unidos e Japão, por exemplo.

Frente a isso, é fácil concluir que onde tem tecnologia, tem inovação e crescimento contínuo. Não é de hoje que a tecnologia vem revolucionando o segmento da saúde. Por exemplo,a internet consegue ajudar no crescimento de clínicas médicas ao oferecer recursos para fidelizar os pacientes, agenda inteligente, controle financeiro e outras várias soluções.

 

A verdade é que enxerga a tecnologia com aliada consegue se sobressair diante da concorrência, prova disso é os três países que foram citados acima que se tornaram referência quando o assunto se trata de telemedicina. 

 

Como a  telemedicina proporciona suporte ao atendimento tradicional

 

Sem sombra de dúvidas, a telemedicina é sim uma revolução. Mas é necessário esclarecer o receio de alguns profissionais da saúde ou pacientes de que este recurso surgiu para substituir de vez as consultas presenciais. Não é verdade. Ela veio como forma de suporte para o atendimento tradicional. Ainda mais pelo fato dela vir integrada a um sistema médico justamente para ser utilizada na assistência aos pacientes no momento da pandemia.

 

Desse modo, a medicina no Brasil vai ganhando importantes contornos em usar cada vez mais os avanços tecnológicos na otimização de todos os procedimentos.O foco desse avanço é destinado no bem estar dos pacientes e consequentemente na evolução do sistema de saúde do país. 

 

É necessário que a união do novo com o tradicional traga benefícios como diagnósticos precoces, evitar sequelas graves ou prever o aparecimento de doenças. Só assim é possível desenvolver tratamentos que tenham mais segurança, efetividade e acurácia. 

 

Quais promessas e desafios que a telemedicina irá enfrentar?

 

De acordo com pesquisas, a telemedicina a nível Global poderá valer em torno de 66 bilhões de dólares ao final deste ano de 2021.

 

Diante desse quadro, a telemedicina não vai se restringir quando a pandemia acabar, ela veio para romper barreiras, literalmente.

 

Promessas

 

Quanto mais a telemedicina é reconhecida como um recurso facilitador na área médica, mais empresas estão se especializando a fim de oferecer a melhor plataforma de telemedicina.

 

E não só focando na qualidade do serviço prestado, como também na usabilidade do usuário a fim de proporcionar uma experiência agradável para o médico na hora que for preencher o prontuário como também humanizar de uma certa forma o atendimento com o paciente e com isso fidelizá-lo.

 

Principais desafios

 

Talvez o grande desafio da telemedicina no Brasil e no mundo é a confiabilidade frágil que os pacientes e profissionais da saúde podem ter em relação à segurança dos dados. Ainda mais depois da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) já ter entrado em vigor e estabelecido multas altíssimas para os responsáveis que vazarem, por descuido, dados sensíveis dos pacientes.

 

Outra questão é a difícil aceitação às novas tecnologias por parte dos brasileiros como bem relatado no começo deste artigo. Americanos e japoneses, por exemplo, são mais abertos às novas tendências do mercado.

 

Existe a questão da remuneração por parte dos médicos. Pois a consulta presencial costuma ser mais cara que a remota. Mas conforme a telemedicina for crescendo, este quadro tende a mudar, uma vez que os pacientes vão preferir se familiarizar e preferir a comodidade que o atendimento à distância proporciona.

 

Qual melhor sistema para consultório com telemedicina se deve escolher?

 

Se tudo que foi abordado no artigo de alguma forma fez sentido, o momento de escolher um sistema para consultório com telemedicina é super importante. Pois o profissional da saúde deve levar em conta a segurança que aquele sistema proporciona. Até porque qualquer médico pode teleatender, mas dependendo do dispositivo que está sendo usado as informações dos pacientes podem ficar comprometidas.

 

O Shosp, por exemplo, é um sistema para consultório que está totalmente de acordo com as normas estabelecidas para a prática de telemedicina.

 

Ele está em conformidade com a Portaria Nº 467 do Ministério da Saúde, a telemedicina é integrada ao prontuário e todos os registros do teleatendimentos são salvos nele.

Conteúdo produzido por Shosp