//Lacre de segurança: garantindo a originalidade dos produtos

Lacre de segurança: garantindo a originalidade dos produtos

Até algumas décadas atrás, lacres só eram observados em bebidas gaseificadas: as tampas metálicas, que se deformavam durante o processo de abertura. Praticamente não se via produtos de fato cerrados com lacres dedicados: alguns processos de embalagem são naturalmente selados, como a plastificação a vácuo ou latas de folhas de flandres. 

Mais recentemente, os lacres têm se estendido para conservas como mostarda, catchup, café solúvel e outros produtos, deixando-os invioláveis. Esse processo evita a falsificação, adulteração ou contaminação.

Lacre plástico

Comuns em pães de forma, os lacres plásticos geralmente precisam ser rompidos para acessar o conteúdo da embalagem selada. Eles denunciam a ruptura pela quebra de uma ranhura fabricada com esta finalidade. 

No caso das tampas plásticas de bebestíveis, ao ser abertas pela primeira vez, destaca-se um anel plástico, que imediatamente comprova que o conteúdo foi exposto a contatos externos.

Lacre personalizado

É bastante comum em confecções, principalmente de camisas. A personalização consiste de uma etiqueta do fabricante, vinculada à confecção com barbante, de tal modo que a torna impossível de ser vestida sem romper o vínculo. Geralmente, os lojistas admitem uma possível troca pela confirmação da integridade desse lacre. 

Lacre de nylon

É de uso comum em artigos vendidos aos pares, como luvas e meias. Trata-se de um filamento de nylon, com extremidades semelhantes a arpões, projetados de modo a penetrar facilmente pela trama da confecção. 

É importante destacar que é impossível de removê-los sem cortar o filamento ou sem danificar a confecção. Outros produtos, como calçados e bolsas, por exemplo, incluem lacres de nylon como evidência de que o produto não foi usado, mesmo que temporariamente.

 Lacre adesivo

Geralmente, é usado em varejo de alimentos, como em departamentos de hipermercados. Após o alimento ser embalado em papel ou filme plástico, a etiqueta de preço, impressa em papel adesivado, é usada para fechar a embalagem. O objetivo é evitar que outros artigos sejam acrescidos no interior do pacote.

Lacres adesivos também podem ser usados para cerrar equipamentos, novos ou recondicionados, visando desincentivar manutenções por gente desautorizada. Além disso, evita que alguma garantia acabe sendo concedida a um equipamento similar ou a um subconjunto “convenientemente” substituído. 

Nestes casos, a etiqueta lacre a ser usada deve ser produzida de modo a impedir sua reutilização. Uma tentativa de remoção após o primeiro uso resulta em fragmentação, impedindo o reuso.

Lacre de segurança

O lacre de segurança é um procedimento descrito inclusive em Norma Regulamentadora de Segurança do Trabalho. Deve ser usado sempre que um trabalho de manutenção precisar ser executado em instalações que processam serviços associados a riscos, para operadores e técnicos de manutenção. 

O produto gerado na instalação, seja energia elétrica, seja produto químico ou mesmo comestível, deve ser isolado do ponto de manutenção: isto é obtido por meio de chaves elétricas, no caso de instalações de geração ou distribuição de eletricidade, ou válvulas hidráulicas (ou pneumáticas) acionadas manualmente, no caso de tubulações de produtos químicos/alimentícios.

Considerando que chaves elétricas ou válvulas são a solução para serviços de manutenção, problemas potenciais podem ocorrer caso algum operador, desavisadamente, comutar a chave elétrica ou abrir a válvula da instalação que estiver sendo reparada, originando acidentes com graves consequências.

A solução identificada para esse tipo de risco é a criação de um protocolo, claramente divulgado a todos os funcionários da empresa, explicando o uso dos lacres de segurança.

Uma vez que uma chave elétrica e/ou uma válvula estejam lacrados pelo setor de manutenção, o acesso à manobra dessas utilidades só será liberado com a remoção dos citados lacres pelo funcionário que os aplicou. Nestes casos, a ruptura desautorizada de algum deles pode configurar crime doloso.

Uma providência a ser adotada, ainda no comissionamento das instalações, é conferir se a lacração é efetiva. Ou seja, se não existe modo de comutar algum dispositivo sem romper o lacre.

Lacre de segurança numerado

A numeração pode ser adotada sempre que algum processo de transferência de bens precise cumprir a normalização de segurança extrema. Pode ser exigível durante o transporte de valores, documentos, obras de arte, matrizes, patentes, etc.

Nessas ocasiões, adota-se lacres numerados, eventualmente gerados por entidade credenciada e auditada. O número do lacre é enviado por link de segurança para o destinatário que, com a chegada da remessa ao local designado, conferirá a integridade e a numeração do lacre.

Lacre para balança

Balanças se tornaram atualmente itens obrigatórios em muitos estabelecimentos do comércio varejista. Muito mais precisas e resolvidas que as ancestrais balanças mecânicas, as digitais têm em comum com as mecânicas o problema de necessitar reaferição periódica. 

A aferição deve ser feita em uma empresa certificada pelo InMetro. Uma vez a balança estando reaferida, esta deve ser lacrada. Explica-se: empresas que praticam comércio estão sujeitas a fiscalização através de órgãos públicos, que verificam se os instrumentos de medida (no caso, as balanças) estão aferidos dentro das margens toleráveis de erro admissível.

Neste caso, um lacre que tenha sido rompido pode ser indicativo de má fé e, caso seja confirmada a imprecisão, pode resultar penalidades para o estabelecimento e seus proprietários.

Um lacre para balança deve ser resistente, para evitar rupturas acidentais e indicar claramente qual instituição o gerou, de modo a demonstrar sua legitimidade. Por outro lado, a estrutura da balança deve ser projetada para, uma vez aplicado o lacre, impedir o acesso aos dispositivos infernos sem que o lacre acabe rompido.

Conclusão

Os lacres já fazem parte da cultura contemporânea. Clientes de supermercados e lojas intuitivamente rejeitam mercadorias com lacre rompido. É muito raro se encontrar produtos que não venham lacrados de fábrica: é o caso de produtos que, caso sejam danificados, o dano aparece imediatamente. 

Mesmo assim, muitos produtos que dispensaram lacres vêm adesivados com etiquetas personalizadas. A remoção das mesmas é indicativo de uso, e, neste caso, a loja geralmente recusa a troca. As aplicações dos lacres podem facilmente ser expandidas. As descritas provavelmente são uma pequena pincelada das possibilidades de usos.