//Saiba como sua empresa pode se destacar em meio à crise

Saiba como sua empresa pode se destacar em meio à crise

Neste post você encontrará todos os detalhes sobre a crise do Covid-19, além de descobrir dicas exclusivas para se destacar no mercado, aumentar seu faturamento e fazer as alterações necessárias para se desenvolver em meio a pandemia. Os tópicos abordados são:

Com o surgimento da crise causada pelo novo coronavírus, também conhecido como Covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS), juntamente ao Ministério da Saúde, repassaram uma série de recomendações e mudanças necessárias para os profissionais e empresas se adequarem à nova situação mundial.

Até hoje, os impactos do novo coronavírus influenciaram diversos setores a mudarem as suas estratégias e também uma preparação para essa queda na demanda de clientes e no faturamento.

De acordo como o consultor Márcio Iavelberg, da consultoria Blue Numbers, o ideal é estimar uma queda de 30% a 50% no faturamento bruto nos próximos 2 a 3 meses. E esses dados não mentem:

Apenas no setor comercial e de serviços, a estimativa é que o impacto negativo seja superior a R$ 100 bilhões nos próximos meses, segundo a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL).

Já dentro do ramo industrial, a queda na demanda é de 79%, sendo que 53% delas relataram uma “queda intensa”, segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

E com o objetivo de reduzir a disseminação do Covid-19 ao mesmo tempo que tentam se sustentar no mercado, enquanto muitas empresas suspenderam as suas atividades profissionais de maneira temporária, outras decidiram continuar a todo vapor por meio do modelo de trabalho home office.

No entanto, uma coisa podemos afirmar: apesar de 2020 não ser lembrado como um ano próspero, ainda sim, é possível fazer a sua empresa se tornar mais reconhecida, visível e fortalecida no mercado!

Maiores impactos do Covid-19 na crise e economia mundial

E como resultado dos fortes impactos no mundo dos negócios, a pandemia do Covid-19 continua causando ainda mais estragos na economia e no turismo mundial.

Com a decretação da quarentena, inúmeras empresas foram fechadas, assim como as linhas de produção foram suspensas.

Comércios em geral, como bares, restaurantes, entre vários outros tipos de serviços estão trazendo um choque no mercado e na economia.

Essas implicações de choques geram, como consequência, um estresse nas finanças mundiais. Bolsas ao redor do mundo tiveram quedas bruscas, e especialmente no Brasil, o Covid-19 levou a inflação ao menor nível dos últimos 22 anos, de acordo com o registro inflação oficial brasileira.

Alguns países como a França já propuseram medidas para acelerar o fim do confinamento e restabelecer o mercado, já que a crise está se dissipando em resultados extremamente negativos.

Outra potência mundial, o Reino Unido, está observando um colapso intenso na economia: o Banco da Inglaterra registrou uma queda histórica de 14% do PIB este ano.

Já nos Estados Unidos, um dos principais países afetados pelo Covid-19, cerca de 33,5 milhões de pessoas estão desempregadas desde o surgimento da crise causada pela pandemia.

Mudanças de cenário no Brasil atual

E depois de todos os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus, não é novidade que o Brasil entrou em um novo cenário. Abaixo, confira o que mudou em relação aos auxílios anteriores:

Economia

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), prevê que a economia do Brasil encolherá 5,2% por causa da pandemia.

Além disso, os bancos e consultorias já esperam que as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) tenha uma retração da atividade, o que não ocorre desde 2016. A maior dúvida entre eles é qual será o tamanho da queda.

Antes mesmo do surto se propagar, as projeções para o desempenho do PIB nacional já o estavam sendo reduzidas, próximas a uma expansão de 1,5%.

Desemprego

O Bank of America levantou um estudo e revisou uma elevação de 14% a projeção de taxa média de desemprego no Brasil, diante dos impactos do Covid-19 e das quarentenas.

Até abril, a pandemia do novo coronavírus contribuiu para que 4,9 milhões de postos de trabalhos fossem encerrados, um recorde histórico, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo que do total, 3,7 milhões eram postos de trabalhos informais.

Quais as principais dificuldades encontradas na crise do Covid-19?

Além de todos esses impactos, tanto os empreendedores quanto os consumidores notam claras dificuldades em meio a crise do Covid-19.

Dificuldades para os empreendedores:

1- Queda nas vendas

Uma das principais dificuldades mais comentadas nos últimos meses é relacionado a queda nas vendas de milhares de empresas.

Claro, esse cenário acaba impactando em menor índice alguns ramos como o setor alimentício ou de serviços essenciais. No entanto, indústrias, comércios e prestadoras de serviços no geral tiveram que lidar com algumas situações drásticas de cancelamento de pacotes e reservas.

Nessa situação, é fundamental que os empreendedores estejam adequadamente preparados e com um bom capital de giro para sustentar os seus negócios durante o período de crise.

2- Adaptação a estrutura dos negócios

Outro impacto negativo entre as empresas, é a extrema dificuldade das mesmas adaptarem os seus modelos de negócios por conta da pandemia.

Com a finalidade de evitar aglomerações, muitos negócios tiveram que mudar de maneira repentina toda sua estrutura para adotar o modelo de home office, que por sua vez, ganhou destaque como única alternativa de trabalho diante da crise.

A tecnologia possui um papel fundamental quando se trata de home office. Os funcionários precisam dos equipamentos necessários, conexão de qualidade e ferramentas de comunicação, além do treinamento necessário.

Por essa razão, os custos inesperados fizeram com que muitas empresas tivessem dificuldades e burocracias em seu desenvolvimento e performance nos últimos meses.

3- Renegociação de dívidas entre fornecedores

Mais uma dificuldade que os empreendedores enfrentam, é o de renegociar as suas atuais dívidas com bancos e fornecedores de matérias-primas e recursos diversos.

A vinda desta realidade inesperada, fez com que muitos empreendedores ficassem apreensivos em financiar seus empréstimos e quitar o máximo de dívidas possível.

No entanto, nem todos os bancos e fornecedores podem acatar uma decisão improvisada e que possivelmente vai gerar alguns conflitos para o futuro do negócio.

Dificuldades para os consumidores

1- Dificuldades para se comunicar com as empresas

Uma grande dificuldade encontrada pelos consumidores é relacionada ao atendimento oferecido pela maioria das empresas.

Como resultado da diminuição de funcionários atuando no mercado, especialmente de agentes de comunicação, os consumidores observam queda no atendimento qualificado, o que prejudica diretamente a sua satisfação com determinadas marcas.

A espera para ser atendido obriga os clientes a recorrerem por métodos de atendimento otimizados, como chatbots, por exemplo.

2- Dificuldades para cancelar compras e pacotes de viagens

Outro desafio para os consumidores é o atrito para realizar cancelamento de diversos produtos e serviços. Entre eles, os pacotes de viagens são o que mais causam estresse nos mesmos.

O número de pedido dos consumidores para o cancelamento ou adiamento de viagens cresce, assim como o cancelamento de hospedagens.

O professor de Direito do Consumidor do Centro Universitário Iesb, Igor Rodrigues explica:  “É um momento difícil para as empresas do setor e pode gerar uma crise temporária, mas é inegável que não é o consumidor quem deve assumir esse prejuízo. As empresas precisam estar preparadas e serem solidárias, não deixando que as pessoas se submetam a esse risco e não espalhem ainda mais a doença”.

3- Dificuldades para lidar com plataformas desatualizadas

Por fim, mais uma grande dificuldade é a de entrar em contato com websites e plataformas empresariais que estão ultrapassadas.

Nos dias de hoje, ter um site com uma boa responsividade e funcionalidade é essencial. Entretanto, com a chegada repentina da crise, muitas empresas ainda não investiram na atualização das suas plataformas, fazendo com que os clientes não pudessem ter uma experiência satisfatória.

Qual a importância de adaptar seu negócio durante a crise do Covid-19?

Você já se perguntou como contribui para o mercado? Mesmo sendo algo básico, essa pergunta é um divisor de águas entre os empreendedores.

Apenas os que realmente entendem o motivo de existência do seu negócio é que têm maiores chances de sobreviverem firmes em seus setores. E se você nunca parou para pensar nisso, nós vamos explicar: 

Dentro da sociedade, as empresas possuem um papel fundamental: solucionar uma determinada necessidade para um público-alvo.

Ou seja, se o mercado não precisa de determinado produto e serviço, provavelmente a empresa não terá vendas, faturamento e respectivamente, lucro para se manter.

Já as necessidades são observadas de acordo com a situação externa do mercado. Por meio das necessidades, um negócio surge ou é adaptado para solucionar e satisfazer o público.

E é justamente nesta época de crise e pandemia que a inovação e adaptação é necessária. Mais do que isso, é preciso identificar as melhores oportunidades em meio a todas as fragilidades e deficiências externas em sua cidade, estado, país, entre qualquer região que passe por uma necessidade atual.

É dentro dos períodos de crise que os momentos mais visíveis de oportunidades aparecem para que uma empresa possa se adaptar e continuar atuante no mercado.

Por essa razão, um dos maiores fatores que as empresas precisam fazer é apostar no planejamento e nas mudanças necessárias, levando em consideração que estamos em um período de instabilidade financeira.

Essas mudanças não são nada mais do que estratégias criadas para enfrentar as ameaças e aproveitar todas as oportunidades que o mercado externo oferece.

Quais setores estão se destacando mesmo à crise do Covid-19?

Já sabemos que o cenário econômico não é um dos mais animadores. No entanto, apesar da adversidades, muitos setores têm demonstrado um crescimento espontâneo e estão se fortalecendo.

Esses segmentos utilizaram da crise para observarem uma nova oportunidade, e assim, combater a pandemia e se sustentar no mercado. Veja abaixo quais são eles:

1- Serviços de transmissão de vídeo

Um dos setores que vem se destacando cada vez mais são os serviços online que possibilitam a transmissão de vídeos. Normalmente, são disponibilizados filmes, séries e desenhos para serem assistidos.

Empresas como Netflix, Amazon Prime, entre outros serviços de transmissão em geral, estão vivendo um momento de crescimento espontâneo, visto que grande parte do mundo está em isolamento social. Para você ter uma ideia, as ações da Netflix obtiveram um crescimento de 15% neste ano!

2- Serviços de delivery

Outro setor que está com o crescimento acelerado, é o serviço de delivery alimentício e de suprimentos.

O aplicativo de serviços de entregas Rappi obteve um crescimento de 30% nos números de pedidos.

Já a previsão para a Uber, segundo Dara Khosrowshahi, CEO da companhia, espera que o serviço intermediador de transporte irá ser muito solicitado durante a crise do Covid-19.

O iFood, por sua vez, mesmo em crescimento, já está se adaptando às mudanças e criando estratégias para otimizar ainda mais os seus processos. Com a opção “receber sem contato físico”, o aplicativo está sendo cada vez mais utilizado.

3- Ferramentas de videoconferência

As ferramentas que possibilitam a videoconferência entre pessoas também sobem seus números. A Zoom Vídeo conseguiu um aumento de 40% em fevereiro deste ano. Esse avanço repentino é dado pela utilização de ferramentas durante o trabalho remoto.

4- Indústrias de álcool em gel

A indústria brasileira está sentindo a crise do novo coronavírus de forma mais severa e inesperada. As medidas fizeram com que muitas empresas deste setor parassem suas atividades ou reduzissem sua mão-de-obra.

Estatísticas do IBGE confirmaram que em março – fase inicial do surto – a produção industrial caiu 9,1% em relação a fevereiro.

No entanto, apesar do tombo, muitos setores e segmentos tiveram uma demanda extrapolante. A necessidade de álcool em gel, por exemplo, cresceu fortemente, resultando em um colapso na oferta atual do produto.

Muitas empresas, como cervejarias e fabricantes de cosméticos já adaptaram as suas estratégias e começaram com a produção de álcool em gel para suprir a alta demanda e se destacar.

4- Comércio eletrônico

E não podemos deixar de mencionar o alto crescimento do comércio eletrônico. Empresas como a Amazon já anunciaram um crescimento forte no número de usuários e nos pedidos de produtos.

No dia 16 de abril, a plataforma conseguiu atingir o valor de mercado recorde: US$ 1,2 trilhão, uma valorização de 28,6% no ano.

Outras empresas, como o Submarino e a Lojas americanas também tiveram um crescimento acelerado. O aumento do tráfego em suas plataforma foi de, respectivamente, 16,2% e 20,8%, de janeiro para março deste ano, segundo o SEMrush.

Mas como o e-commerce está crescendo em meio à crise?

Como mencionamos no início do post, foram registrados quedas entre diversos setores. No entanto, até o momento, o e-commerce brasileiro apresenta um aumento significativo:

Segundo o estudo Compre e Confie, do grupo ClearSale, o setor do e-commerce alcançou um aumento de 40% na primeira quinzena de março, quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

Já o presidente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), Maurício Salvador, indica alguns setores do comércio eletrônico na crise estão se destacando. Áreas como saúde e alimentação obtiveram um crescimento de 180% no período.

Outro estudo da Ebit Nielsen, em março de 2020, confirmou que o álcool em gel representou 9% do faturamento total do ramo de saúde no e-commerce. Anteriormente, esse produto não chegava a representar nem 1%.

Isso significa uma grande oportunidade para os empreendedores que estão buscando novas formas de se destacar no mercado.

Com a chegada das medidas para reduzir o alastramento do novo coronavírus e a inserção da quarentena para a população, é natural que o índice de compras pela internet tenha um aumento tão repentino.

As compras online sempre estiveram em um constante crescimento, e a previsão é que o e-commerce cresça anualmente 22% até 2021 em toda a América Latina, índice similar ao do Brasil, com uma expectativa de crescimento de 17% segundo o levantamento da DHL.

Benefícios de utilizar a internet para aumentar as vendas

Estar na internet, seja por site, blog, redes sociais, comércio eletrônico, marketplace ou outra atuação virtual, traz uma série de vantagens e benefícios para o seu negócio.

Mesmo antes da crise do Covid-19, a presença online já era considerada um requisito e quase que obrigatório para as empresas que querem se desenvolver e se destacar no mercado.

Hoje em dia, há diversas formas de se posicionar na internet e aumentar as vendas, e é o que muitas companhias estão fazendo, agora mais ainda diante da pandemia do novo coronavírus.

Abaixo, veja quais as principais vantagens que a internet oferece à sua empresa para aumentar suas vendas:

1- Maior alcance

Uma das maiores vantagens de investir em um e-commerce é que é possível vender, sem custos adicionais, para todo o país, ou até mesmo para o exterior. Os custos relacionados ao frete normalmente são pagos pelo próprio consumidor.

E mesmo quando seu estabelecimento comercial decide incluir frete grátis, os custos ainda são menores do que os de manutenção de uma loja física.

2- Mais registro e gerenciamento de dados

A maioria das informações e dados que aparecem na internet podem ser registrados, mensurados e gerenciados.

Algumas informações sobre o comportamento dos leads (potenciais clientes), consumidores, histórico de compras, entre outras informações dos usuários do seu site, podem ser utilizadas para que você crie novas estratégias e campanhas de marketing de maneira mais assertiva.

3- Comunicação instantânea

Outra vantagem em investir em um comércio eletrônico é que, por meio dele, é possível ter uma comunicação otimizada e instantânea com seus leads e clientes. Dessa forma, você pode trazer uma melhor experiência e estimulá-los em sua jornada de compra.

Algumas plataformas online, como as redes sociais, também já oferecem mecanismos de chatbot, que são ferramentas que transmitem mensagens programadas, com o intuito de solucionar as dúvidas e interagir.

O chatbot responde os clientes de acordo com as suas necessidades, o que pode ser muito útil em empresas que fornecem produtos e serviços específicos, ou até mesmo que possuem uma alta demanda de clientes para poucos agentes de comunicação.

Entretanto, apesar do chatbot ser uma ferramenta otimizada, ele ainda não é capaz de substituir um agente de comunicação especializado.

Isso, pois mesmo com o auxílio de mecanismos, como no caso da inteligência artificial, a tecnologia ainda não implementou algum método tão eficiente para solucionar todas as dúvidas possíveis e interagir de forma tão natural.

O agente virtual, também conhecido como chat humano, funciona da mesma maneira que o chatbot, no entanto, ao invés de ser programado, se trata de um profissional do outro lado da tela disponível para tirar dúvidas e prestar um atendimento personalizado. Veja aqui um exemplo.

4- Possibilidade de criação de estratégias diversas

Mais uma vantagem importante de ter um site de compras online é a facilidade e otimização para criar campanhas personalizadas e segmentadas em seu público-alvo.

Algumas estratégias como o marketing de conteúdo, SEO, Links patrocinados (com criação de anúncios), entre outras estratégias de marketing digital, podem fazer com que sua empresa possa se destacar da concorrência e alcançar novos patamares.

5- “Vender mais” mesmo durante a crise

Por fim, utilizando a internet, é possível aumentar as suas vendas mesmo durante a crise do novo coronavírus.

Especialmente se você vende produtos como móveis ou itens de decoração, e não pode continuar atuando no momento. Por exemplo, é possível fechar contratos com empresas, que por sua vez, fazem a intermediação das suas vendas de forma totalmente online.

Esse é o caso do Soluções Industriais, um portal do ramo industrial que auxilia os empreendedores a manterem o seu nível de faturamento e não pausarem as suas vendas.

E quais são os benefícios de utilizar a internet para comprar?

Agora que já falamos sobre os maiores benefícios em investir em um e-commerce na crise, veja abaixo quais as vantagens que o comércio eletrônico oferece aos consumidores e clientes:

1- Mais comodidade

Comprar sem sair de casa é obviamente uma das maiores vantagens de realizar uma compra em um e-commerce. A expansão da internet e os avanços da tecnologia proporcionaram aos clientes mais comodidade e otimização para realizar uma compra.

Hoje em dia, é possível comprar um produto ou fechar um contrato em questão de minutos, sem pegar trânsito, filas ou procurar por estacionamentos.

Até mesmo a própria pesquisa de preços se tornou mais otimizada. Sites e mecanismos de busca, como o Google ou o Bing, oferecem sistemas para que o consumidor veja as características sobre o produto que mais a adequa ao seu perfil.

Além dos buscadores, os marketplaces, como no caso do Mercado Livre ou Soluções Industriais, também oferecem opções variadas de preços e lojas de um mesmo produto, garantindo a comodidade, praticidade e segurança na hora da compra.

2- Mais disponibilidade

Outra vantagem de comprar em um e-commerce é que, ao contrário de uma loja física, que possui um horário e atendimento limitado, o comércio eletrônico está disponível para que o cliente compre 24h por dia e 7 dias por semana.

3- Mais qualidade a um menor preço

Também é possível localizar os melhores produtos e serviços na internet. O crescimento de comentários e recomendações de outros clientes são fortes aspectos e que direcionam os novos clientes a sempre comprarem nos e-commerces mais confiáveis e com mais credibilidade.

E quais são as desvantagens de abrir um e-commerce?


Mesmo apesar de todas as estatísticas e dados positivos sobre o e-commerce na crise e seu crescimento espontâneo, sabemos que nem tudo é um mar de rosas.

Além das suas diversas vantagens, o e-commerce também apresenta alguns pontos negativos e que devem ser analisados individualmente antes do gestor ou empreendedor tomar a sua decisão. Confira quais são eles:

1- Dificuldade para estabelecer um bom relacionamento

Nos dias de hoje, mesmo com a mudança de preferência na comunicação de grande parte dos consumidores, muitos clientes ainda preferem compartilhar as suas impressões e conversar com os agentes de comunicação de forma mais personalizada.

Surge, então, um dos principais desafios de um e-commerce: oferecer uma comunicação rápida e atenciosa, evitando qualquer tipo de transtorno relacionado aos produtos e serviços, e ainda transmitindo uma imagem de credibilidade e confiança.

Apesar dos chatbots se tornarem ferramentas populares quando o assunto é relacionamento, esses sistemas ainda não evoluíram o suficiente para transmitir tanta fluidez e personalização nas respostas, fazendo com que muitos clientes possuam dúvidas e entrem em contato com a empresa por outros canais de comunicação.

2- Necessidade de organizar a logística

Outra desvantagem de aderir ao e-commerce é que este modelo de negócios exige um cuidado especial com o setor de logística, que por sua vez, é um dos mais difíceis e complexos de se trabalhar.

O gerenciamento de estoque e cálculos diversos devem ser constantes para não comprometer o sucesso na entrega dos produtos.

Isso significa que a otimização nos processos de logística não é apenas importante, como algo extremamente necessário, visto que quase toda a etapa do processo produtivo tem relação com esse departamento.

3- Exigência de estratégias de SEO

Mais uma dificuldade encontrada pelos donos de comércios eletrônicos se dá pela alta competitividade.

Após a expansão da internet, mais e mais sites de vendas estão buscando um melhor posicionamento no Google. E por essa razão, quando algum cliente vai pesquisar sobre determinado produto ou serviço, ele poderá encontrar inúmeros modelos de diversos e-commerces.

E para ter mais chances de se tornar visível nos mecanismos de busca, é fundamental investir em estratégias de SEO.

Também conhecido como Search Engine Optimization, esse conjunto de estratégias é aplicado ao site (ou fora dele), com o intuito de otimizar o seu posicionamento.

A boa notícia é que, se você opta por vender em marketplaces, como é o caso do Soluções Industriais, não é necessário implementar estratégias de SEO.

Isso acontece, pois as próprias plataformas de marketplace já buscam seguir com estratégias qualificadas para receber mais leads e estarem posicionadas nos mecanismos de pesquisas.

4- Não poder experimentar produtos

Especialmente em segmento têxtil, de cosmético ou eletrônico, um medo em comum dos consumidores é não garantir a sua satisfação após o momento de comprar um determinado produto.

Afinal, muita das vezes que a compra de um produto desconhecido é realizado, o consumidor pode criar expectativas distorcidas quanto ao seu tamanho, cor e usabilidade.

Nesta situação, uma das maneiras mais eficazes de sustentar a maior confiança das compras dos produtos em seu e-commerce na crise é oferecendo informações claras e imagens nítidas sobre o produto.

Além disso, um conteúdo explicativo pode ser o suficiente para o consumidor sanar todas as suas dúvidas de utilização.

Inovações e estratégias de vendas para um e-commerce na crise

Nós vamos te mostrar quais são as ações e estratégias mais inovadoras que seu negócio pode aplicar para manter as suas vendas durante a crise do novo coronavírus:

Opte por utilizar chats privados

Em meio a pandemia, utilizar chats privados é uma das maiores formas de otimizar e auxiliar o processo de comunicação de um e-commerce na crise.

Aplicativos como o Whatsapp e Facebook Messenger são exemplos de soluções que podem ser adotadas para garantir a divulgação dos seus produtos e serviços, pois por meio deles, é possível ter uma comunicação direta.

Além disso, de acordo com uma pesquisa da Mobile Time e Opinion Box, entre os aplicativos mais utilizados, o Whatsapp se destaca, com uma presença em 98% dos dispositivos móveis dos consumidores, seguido pelo Facebook Messenger (79%), Instagram (72%) e Telegram (19%).

Isso mostra uma grande vantagem para alcançar novos leads e manter um relacionamento mais próximo.

Informe seus clientes sobre a atual situação

Não é porque estamos na crise do Covid-19, que é preciso se esquecer dos seus clientes, certo?

Por isso, não se esqueça de mostrar para o público como sua empresa está agindo diante da pandemia, quais as modificações feitas para evitar o alastramento do novo coronavírus, quais as formas de atendê-lo durante este período, e acima de tudo, mostrar que está atuando a todo vapor, mesmo por meio de e-commerce.

Invista em marketing digital

Basicamente, o marketing digital se trata de um conjunto de estratégias direcionadas a um determinado público-alvo, com o intuito de trazer resultados positivos a um negócio.

Esses resultados podem ser: melhorar o posicionamento da empresa no Google, construir uma imagem da marca positiva, atrair novos clientes, maximizar as chances de vendas, ampliar os canais de divulgação e comunicação, entre outros.

Alguma das estratégias mais utilizadas de marketing digital em meio a crise são: e-mail marketing, SEO, marketing de conteúdo, links patrocinados, link building, etc.

Abaixo, você verá como essas estratégias de marketing digital pode alavancar as vendas do seu comércio eletrônico. Confira!

Como um e-commerce na crise pode vender mais com o marketing digital?

Como mencionamos, há inúmeros canais e estratégias de marketing digital que podem ser utilizadas para um e-commerce vender mais em meio a crise. Vamos à alguns dos mais utilizados:

E-mail marketing

Basicamente, o e-mail marketing se consiste em uma estratégia de disparo de e-mail para leads e clientes, com a intenção de repassar alguma informação ou conteúdo.

Ou seja, é um e-mail direcionado a caixa de entrada do seu público para repassar novidades, atualizações e conteúdos diversos.

Uma das vantagens mais visíveis do e-mail marketing é que ele é muito versátil: você pode personalizá-lo com as cores da sua marca, e elaborar inúmeros tipos e formas de conteúdo para chamar a atenção dos leads e clientes.

Além disso, quando se trata de um e-commerce na crise, o tráfego é um dos fatores mais importantes para vender mais e que deve ser levado em consideração.

Por isso, com o e-mail marketing, sua empresa poderá atrair novos visitantes para o seu website por meio de conteúdos e promoções enviadas!

Marketing de conteúdo

Outra estratégia de marketing digital que está sendo popularizada é o marketing de conteúdo. Ele se trata da produção de um conteúdo relevante, direcionado a um público-alvo, com a intenção de atraí-lo, ampliar o relacionamento e fidelizá-lo.

Com um conteúdo bem elaborado, é possível oferecer ao seu público soluções à suas determinadas necessidades, o que influencia diretamente no aumento das vendas do seu negócio!

No entanto, ao realizar essa estratégia, é fundamental definir os seus objetivos de maneira detalhada.

Onde a marca quer chegar com esse conteúdo? Quantos clientes pretende captar? Em qual posição almeja estar no site de pesquisa do Google?

Outra questão para elaborar uma boa estratégia de marketing de conteúdo e vender mais é direcionar os conteúdos exclusivamente para o seu público-alvo.

Não se esqueça que, se sua empresa está inserida dentro de atuação, os conteúdos também devem pertencer ao ramo, pois assim, os algoritmos do Google conseguem observar o seu website com mais relevância e autoridade no assunto.

Links patrocinados

Apesar do marketing de conteúdo ser uma estratégia altamente eficiente para vender mais na crise, pois impacta na comunicação e na informação para um público, enfatizamos que os seus resultados podem ser me mostrar sólidos ao longo do tempo.

Por conta disso, se o seu e-commerce está precisando de resultados rápidos, então os links patrocinados são estratégias mais adequadas.

Afinal, ele se trata de um anúncio do seu conteúdo ou site que é posicionado no topo dos mecanismos de busca, como o Google, Bing, ou até mesmo em sites parceiros.

Um exemplo de ferramenta para link patrocinado é o Google Adwords. Nele você consegue anunciar suas páginas no site de pesquisa do Google a alcançar clientes com mais agilidade.

Além disso, se o seu e-commerce apenas atua em regiões determinadas, com o Google Adwords, também é possível segmentar os anúncios apenas para certos locais.

Normalmente, as ferramentas de links patrocinados possuem um custo de investimento flexível. Isso significa que mesmo com o orçamento apertado é possível planejar campanhas e vender mais!

Redes sociais

Também não podemos deixar de enfatizar a importância das redes sociais para a sua estratégia de marketing.

Basicamente, as redes sociais possuem diversas finalidades. Inicialmente, elas foram criadas como uma plataforma para que as pessoas pudessem compartilhar diversas informações, se relacionar entre si, procurar novas amizades e tornar todo processo de comunicação mais fácil, mesmo que a distância.

No entanto, ao longo do tempo, muitas empresas perceberam os benefícios das redes sociais para se relacionarem com seus clientes e também anunciarem seus produtos e serviços, divulgando a própria empresa.

Por essa razão, muitas redes sociais também acabaram diversificando seus próprios ambientes em prol das empresas que queriam utilizá-las.

Por isso, hoje em dia, é possível encontrar ferramentas de monitoramento, análise de palavras-chave, campanhas de anúncios e muitas outras, para as empresas terem mais otimização em suas ações de marketing e vendas.

Vendas em marketplace

O portal de venda, também conhecido como marketplace, é uma plataforma disponível na internet que funciona como um centro comercial, no qual diversos vendedores oferecem seus produtos – e até serviços – para os compradores do portal.

Basicamente, podemos assemelhar o marketplace como um shopping virtual. Isso, pois nesta plataforma é possível encontrar uma gama diversa de vendedores e fornecedores.

E se o seu e-commerce ainda não elaborou alguma estratégia para vender mais em marketplaces, essa pode ser sua chance.

Algumas plataformas de marketplace, como o Mercado Livre, OLX, Ebay, Aliexpress, entre outros, cobram determinadas taxas quando sua empresa faz uma venda a um cliente.

Já as plataformas como o Soluções Industriais não cobram taxas no momento da venda, somente possuem um custo mínimo pelo espaço publicitário.

Mas em todos os casos, visto o alto grau de retorno do investimento e atratividade que os marketplaces oferecem, eles certamente estão no topo da lista para os comércios eletrônicos que querem alcançar mais clientes e vender mais.

Vale a pena vender em marketplace?

Os marketplaces se tornaram ainda mais atraentes em grandes empresas de ramos diversos, como Mercado Livre, Americanas, Amazon, entre outros.

Além disso, também existem empresas em ramos específicos que dispararam as suas vendas, como o Soluções Industriais, do ramo de indústria, ou a empresa Enjoei do ramo de eletrônicos e moda, por exemplo.

E diante da crise do novo coronavírus, a dúvida sobre vender em marketplace se tornou ainda mais comum entre os empreendedores. Afinal, será que realmente vale a pena vender em marketplace?

A nossa resposta é: sim! E há inúmeros benefícios para argumentarmos isso. Os canais intermediários de marketplace oferecem baixo custo de investimento e facilidade para receber seus pagamentos.

Para os clientes que buscam produtos e serviços mais específicos ou industriais, por exemplo, começar a divulgar em marketplace é uma excelente alternativa para se tornar mais competitivo e alavancar as suas vendas, mesmo que em meio a crise.

Pense que é como divulgar seus produtos dentro de um shopping center. Lá, você estará muito mais em evidência, não é mesmo?

Além do marketplace ser uma ótima opção para quem está começando, ele ainda auxilia a retomada das vendas em meio a crise do Covid-19, já que mais clientes estão comprando produtos e serviços pela internet.

Como escolher um marketplace para vender mais?

Após saber que o marketplace é uma ferramenta muito vantajosa para vender mais durante a crise, você deve estar se perguntando qual plataforma de marketplace utilizar para vender seus produtos.

Afinal, com tantas opções disponíveis no mercado, a escolha correta pode confundir muitos empreendedores.

Existem marketplaces sem taxas, como o Soluções Industriais, onde não é cobrado pelas vendas realizadas, mas sim, somente pelo espaço publicitário dentro da plataforma, que hoje em dia, apresenta mais de um milhão de acessos por mês para compradores industriais!

Além disso, a plataforma do Soluções Industriais também é perfeita para os clientes e empresas que pretendem pesquisar o melhor valor e comprar produtos industriais com simplicidade e rapidez.

Isso, pois ela oferece um volume satisfatório de orçamentos e mostra os mais variados preços para que supra completamente a necessidade do cliente e que o valor cabe no seu bolso. Se você ainda não conhece o portal Soluções Industriais, clique aqui.

Diferenciais das empresas para se destacar nesse momento

Para terminarmos este post de maneira inspiradora, veja abaixo algumas ações de empresas que estão inovando e apostando para se destacar:

Facebook

O Facebook, uma das maiores plataformas do mundo, é uma das empresas que vem crescendo e sendo solidária com os pequenos empreendedores.

A rede social de Mark Zuckerberg, com um montante de 130 milhões de usuários, prometeu que irá ajudar cerca de 30 mil pequenas empresas durante a pandemia do Covid-19.

O objetivo da ação é auxiliar os pequenos negócios localizados em países onde os seus funcionários mantém as suas atividades.

Claro, Sky e outras empresas de televisão

Empresas de operadoras de TV fechada também contribuem com o combate à pandemia: algumas delas disponibilizam canais fechados para incentivar as pessoas a permanecerem em suas casas durante o período de isolamento social.

Netflix, Amazon Prime e serviços de videoconferência

Como citamos neste post, empresas que prestam serviços de transmissão de vídeo, como a Netflix, estão trabalhando a todo vapor com o lançamento e publicação de desenhos, filmes e séries para incentivar as pessoas a permanecerem em quarentena.

Se atualize, inove e ganhe destaque em meio a crise do Covid-19

Ao longo deste post, vimos que o cenário não é dos melhores. Os impactos da pandemia do Covid-19 foram intensos e influenciaram diretamente todos os países do globo, inclusive o Brasil.

A economia e o desemprego são fatores que despencaram como consequências das medidas contra o novo coronavírus.

Apesar desse impacto negativo, o isolamento social continua sendo a melhor alternativa para reduzir a disseminação do novo coronavírus.

Além disso, tanto os empreendedores como consumidores estão vivendo uma época de dificuldades e desafios. Tanto as vendas como as compras tomaram um rumo repentino, o que ocasiona em preocupações com o futuro do empreendedorismo.

No entanto, mesmo diante da pandemia do novo coronavírus, segmentos diversos estão investindo em mudanças e se adaptando ao necessário para se destacar e sobreviver ao mercado. Entre eles, o e-commerce ganha ainda mais força.

Mesmo com alguns desafios, o e-commerce se tornou uma questão de prioridade para as empresas que querem se destacar, manter suas vendas e transformar todos os problemas em oportunidades.

Agora que você já se atualizou com todos os detalhes sobre essa pandemia, o que acha de utilizar as nossas dicas para se destacar em meio à crise?

Gostou do nosso conteúdo? Conta pra gente! Queremos saber sobre a sua opinião!